quinta-feira, 23 de maio de 2013

-NO PALCO-


VERSOS DEL GUADARRAMA 
(1930 - 1939)

1. Cumbre, I
Todo lo que perdí.
J. Guillén.




CUMBRE. La brisa tiembla
desnuda como un lirio.
Mañana estremecida
pura y fresca en los pinos.

Tornasol misterioso
de la dicha suave
que el cielo transparente
tan azul en el aire.

Un olor de rocío
y de espliego celeste
brota de las orillas
últimas de la nieve.

El silencio palpita
sobre las altas rocas.
El arroyo de plata
embelesa la sombra.

Cumbre libre del día.
iMaravilla reciente
del amor y del agua
bajo los pinos verdes!

                                           - Leopoldo Panero -

2 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom,
li algumas coisas folhe-ei algumas postagens,
gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha.
Deixo-lhe a minha bênção.
E que haja muita felicidade e saúde em sua vida e em toda a sua casa.
PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

José María Souza Costa disse...

CONVITE
Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
Eu também tenho um, só que muito simples.
Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
Força, Paz, Amizade e Alegria
Para você, um abraço do Brasil.
www.josemariacosta.com