domingo, 8 de agosto de 2010

XIV


É difícil ser poeta
Se aqui não sei fingir
Por nos olhos brancas névoas
E não ver só por sentir.

Quando algo me angustia
Guardo o lenço que umedeço
E o verso se alumia
Lá do fundo do meu peito.

Quando a tinta se espalha
E não sabe se errou
Perdoa-se qualquer falha
Se a cantiga for de amor.

Senti na mão tremer soluço
Porque Razão se ausentou
Vês meus olhos? Estão enxutos,
Minha caneta é que chorou.

(Milena Karina)

-NO PALCO-

3 comentários:

Jimmy (Marcone Santos) disse...

Caramba! Muito bom esse!

"V!VAPOES!A" disse...

BELA POETA.... MUITO BOA....

. disse...

Que beleza! Adorei!