quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

MANUEL BANDEIRA

Ovalle

Estavas bem mudado
Como se tivesses posto aquelas barbas brancas
Para entrar com maior decôro a Eternidade.
Nada de nós te interesava agora
Calavas sereno e grave
Como no fundo foste sempre
Sob as fantasias verbais enormes
Que faziam teus amigos rir e
Punham bondade no coração dos maus.

O padre orava:
- “O côro dos anjos te receba…”
Pensei comigo:
Cantando Estrela brilhante
Lá do alto mar!…

Levamos-te cansado ao teu último endereço
Vi com prazer
Que um dia afinal seremos vizinhos
Conversaremos longamente
De sepultura a sepultura
No silêncio das madrugadas
Quando o orvalho pingar sem ruído
E o luar for uma coisa só.

-NO PALCO-

3 comentários:

D.Everson disse...

Grande Mané, esse poeta tem muito haver com Danié!

"V!VAPOES!A" disse...

manuel bandeira sem dar bandeira...

Jimmy (Marcone Santos) disse...

Muito bonita essa poesia...